- Ásatrú -
Norse Religious Traditionalism // - - //Tradicionalismo Religioso Nordico
v.: 1.05

Por (by): Godhi Medhal Mikit Stór-ljon Oddhinsson
(Clergy In Trainning) Octavio Augusto Okimoto Alves de Carvalho
Ásatrú Vanatrú - Forn Sed Brazil
Norse Religious Traditionalism
20 - August - 2002 C.E.

Grammatical Correction and Revision in English language:
Githya Kreimhild A. Steinberg
New York Metropolitan Asatru Society - NYMAS
USA Samfundnet - Asatru Forna Seden

Introduction to Ásatrú

Ásatrú is a modern name in an old language of our old religion. It means "True to the Aesir" in Old Norse. The origins of our religion come from the Stone Age, yet it remains virtually unchanged from its time. Being an living faith, it adapted itself to the needs of each age to better fit to the spiritual needs of the people of such times until the Viking Age, without losing the link with its ancient roots in an state of equilibrium. In practice, however, Ásatrú is not about only the Aesir, but the Vanir and also, some deities of Jotnar kind. This modern name was the one given to the Icelanders when they sought legal recognition in 1972. Godhi (priest, chieftain) and Skald (a poet) known as Alhesargodhi Sveinbjorn Betteinsson led the Asatruarmenn, Iceland's first legally recognised Heathen group in nearly a millenuim, at the time of the official recognition by the Icelandic Parliament (Althing) as Ásatrú as a true and valid religion. "Trú" also means Fidelity, Faith or Trust.

Introdução ao Ásatrú

Ásatrú é um nome moderno em uma lingua antiga para nossa Antiga Religião. Significa "Verdadeiro para com os Aesir" em Nordico Arcaico. As origens de nossa religião vem da Idade da Pedra, mas não pernaneceu inalterada desde então, sendo uma fé vivente, esta se adaptou a si para as necessidades espirituais das pessoas destas epocas até a Era Viking, sem perder o vinculo com suas antigas raizes em um estado de equilibrio. Na pratica entretanto, o Ásatrú não é apenas aos Aesir, mas aos Vanir e alguns da progênie Jotnar. Este nome moderno foi dado para os Islândeses quando eles conseguiram o reconhecimento legal em 1972. O Godhi (sacerdote, chefe) Islândes e Skald (poeta), conhecido como Alhesargodhi Sveinbjorn Betteinsson, liderou os Asatruares do primeiro grupo Heathenista legalmente reconhecido na Islândia por volta de um milenio, na epoca do reconhecimento oficial de nossa religião que é o Ásatrú pelo parlamento islândes (Althing) como uma religião valida e verdadeira. "Trú" também significa Fidelidade, Fé ou Confiança.


History

Ásatrú was followed by several peoples of Northern Europe. The Scandinavians (Danish, Norwegian, Swedish and Scandinavian people), Frisians, Hungarians, Anglo-Saxons, The Teutons (predecessors of the German peoples), the ancestors of the Dutch, the Goths (Visigoths, Ostrogoths, etc), the Slavonians, Longabards and the Russians. Although there have been false claims without any academic proof or archaeological evidence of familiar traditions and inninterrupted lineage, the religion was obliterated by a genocidal and violent campaign by Roman Catholic Christianity. (See more details in the section "A Short History of Paganism" on this same website). The elder ancient Norsemen were strong, but even if they desperately tried to preserve their culture, they were not bent on converting others, and the new religion was. Catholic social and economic pressures coupled with a campaign of genocide drove the old ways underground. Such was the fate of this religion. The doom of Ásatrú began even before at the late sixth century when a small group of missionaries crossed the channel of the great continent into the British Isles to bring the Christian faith into Kent.

O Ásatrú foi seguido por diversos povos Norte Europeus. Os Escandinavos (Dinamarqueses, Noruegueses, Suecos e Escandinavos), Frisios, Hungaros, Anglo Saxões (ancestrais, juntamente com os Gaelicos, dos ingleses), os Teutões (predecessores dos Alemães), os ancestrais dos Holandeses, os Godos (Visigodos, Ostrogodos, etc), os eslavos, longonbardos e os russos. Suas raizes são Indo-Europeias e isto significa que nós temos as mesmas raizes das religiões e culturas dos Celtas e Hindus. Apesar das falsas alegações sem nenhuma prova academica ou evidencia arqueologica de supostas Tradições Familiares e linhagens ininterruptas, a religião foi totalmente obliterada por uma campanha genocida e violenta pelo cristianismo. (veja mais detalhe no artigo Breve Historia do Paganismo no mesmo website). Os Antigos Nordicos foram fortes, mas mesmo com uma intensa atitude preservacionista cultural, estes não intencionavam converter os outros, e as novas religiões estavam. Tal foi o fado desta religião. O declinio do Ásatrú começou mesmo antes do fim do Século VI quando um grupo pequeno de missionarios cruzaram o Canal do grande continente para as ilhas britanicas trazendo a fé Cristã para Kent.

Other Christian teachers were already working in the west of Britain. Before long, the temples of the Heathen gods were replaced by little churches of wood, brick and stone, and carved crosses arose everywhere in honour of the Christian god. By 731 C.E., a brilliant Christian scholar in the new monastery of Jarrow in northern England, the man we know as the Bede the Venerable, set out to write a book surveying the growth of the new faith from one end of England to the other. Though the Heathen religion in Britain was not yet dead, its days were numbered. On the continent, most of the Germanic peoples had already rejected (or converted by swordpoint with obvious death threats to themselves and their families from this "religion of love") the old gods, with a few exceptions like the Saxons, the Frisians, and the Danes. Things became worse by the tenth and eleven centuries when the people of Norway were converted by those doughty Christian kings, Olaf Tryggvarsson and Olaf The Holy. These two waged unceasing battle against the heathen gods, smashing their idols, burning their temples, either driving out their followers or putting them to a painful death in the name of Christ.

Outros professores cristãos estavam alternativamente trabalhando na parte ocidental de Britain (Bretanha) e há muito antes, os templos dos deuses heathenistas foram substituidos por pequenas igrejas de madeira, tijolos e pedra, e cruzes esculpidas se erqueram em toda parte em honra do deus cristão. Por volta de 731 da Era Comum, um escolastico cristão brilhante no novo monasterio de Jarrow no norte da Inglaterra, o homem conhecido como o veneravel Bede, se dispoz a escrever um livro cobrindo o crescimento da Nova Fé de uma ponta a outra da Inglaterra. Apesar que a religião heathenista não estava ainda morta na Bretanha, seus dias estavam contados. No continente, muitos dos Germanos já haviam rejeitado (ou sob conversões sob ponta de espada em obvias ameaças de morte desta nova "religião de amor") os velhos deuses, com poucas excessões como os Saxões, os Frisios e os Dinamarqueses. As coisas começaram a piorar por volta dos séculos X e XI quando o povo da Noruega se converteu por causa destes bestiais Reis Cristãos, Olaf Tryggvarsson e Olaf-o-Sagrado. Estes dois batalharam sem cessar contra os deuses heathenistas, esmagando seus idolos, queimando seus templos e ou expulsando seus seguidores ou expondo estes a mortes dolorosas em nome de Cristo.

Some of those driven away settled in Iceland, where there were no kings and no persecution. But even in Iceland, the fires of heathenism were dying down. In the year 1000 C.E., the Icelandic Assembly (Althing), under presure from several of the Christian kings of Scandinavia through threats of war and denial of trade, they made Christianity into the oficial religion of Iceland, but in a afforded a far higher degree of religious tolerance towards the old religion, where the scriptures and images was not smashed and destroyed, and worship was tolerated in private. Showing treachery and disdain towards the Old Faith, Denmark had also forgotten its roots, and in 1015 C.E., when Canute the Dane conquered England, he was fully prepared to become a pillar of the Church. The Swedes were the most stubborn in their steadfast faith to the Heathen religion, but by 1164, a Christian bishop ruled in Uppsala, the old stronghold of Odin and Freyr, and destroyed the Old Uppsala temple building an Christian Church on the place where the temple once stood. A cursed monument still seen nowadays in remembrance to the genocide wrought upon all of our predecessors. As an ethno-cultural religion, it was a part of the culture, and also, of the soul of the Northern European folks, and it never really died. It survived in the Goths, Anglo Saxon communities in a synthesis of Christianity and Heathenism called Catholic Arianism, and even the Christian Icelanders still believed and respected the spirits of the land known as the "landvaetter". However such religion was persecuted and completely slaughtered by the church's agents as a heretical belief and this signalled the end of Aesir worship in Northern Europe.

Alguns daqueles que foram expulsos, se estabeleceram na Islândia, aonde não havia reis, portanto não havia perseguições. Mas mesmo na Islândia, as chamas do heathenismo estavam se apagando, e no ano 1000 da Era Comum, O Parlamento ou Assembleia Islândesa, sob pressão de diversos reis cristãos da Escandinavia atravéz de ameaças de guerra, e boicote do comercio, estes tornaram o Cristianismo a religião oficial da Islândia, mas em uma situação muito maior de tolerancia da Velha Religião, aonde as escrituras e imagens não foram esmagadas e destruidas. Em traição da Velha Fé, a Dinamarca também esqueceu suas velhas raizes, e em 1015 C.E. (Common Era, Anno Dommini, Era Vulgatti), quando Canute-o-Dinamarques conquistou a Inglaterra, ele foi totalmente preparado para se tornar um pilar da Igreja. Os Suécos foram os mais teimosos em sua fé na religião heathenista, mas por volta de 1164, um bispo Cristão governou em Uppsala, o antigo forte de Odin e FreyR, e destruiu o Antigo Templo de Uppsala construindo uma Igreja Cristã no lugar em que o templo jazia. Um monumento amaldiçoado que ainda é visto hoje em dia em lembrança do genocidio feito a todos os nossos predecessores. Como uma religião etno-cultural, isto foi parte da cultura, e além disso, parte da alma dos povos norte europeus, e isto não morreu realmente. Esta sobreviveu entre as comunidades Goticas, e Anglo-Saxãs em um sincretismo com o cristianismo e o heathenismo chamado de Arianismo Catolico, e mesmo os cristãos Islândeses ainda respeitavam os espiritos da terra que foram os Landvaetter. Entretanto tal religião foi perseguida e completamente exterminada pelos Agentes da Igreja como uma religião heretica e isto foi o fim do culto Aesir no Norte da Europa.

However, the Christian tyrrany did not endure forever. The Dark Ages, when Christianity held total political dominance, are long over, and with the Renaissance Age to Modern Age, humankind again saw a new light of freedom. The most important tribute to the end of such darkness was when the last Christian king of France was decaptated, and someone yelled at the multitude: "Jacques de Molay- Your blood is avenged!!!"
(The French Christian Crown was one of the worst enemies of Heathenism and Viking Civilization.)

During the early part of the 20th Century, The National Socialist Party in Germany under Adolf Hitler Christian Leadership and with the support of the Roman Catholic Pope, attempted to pervert Asatru by grafting parts of the religious symbols onto the Nazi's racist beliefs. This blasphemy died by the end of World War II, although some neo-Nazi groups are now attempting to continue the practice.
This activity is in no way related to the restoration of Asatru as the Aesir Worship in its former Glory!

Entretanto a tirania cristã não durou para semre. A Era de Trevas quando a Cristandade esteve em total dominio politico terminou com a Renascença e a Era moderna, e a humanidade pode ver novamente uma nova luz de liberdade. O maior e mais importante tributo ao fim de tal escuridão foi quando o ultimo rei cristão da França foi decaptado e alguém gritou na multidão:
"Jacques de Molay - Teu sangue esta vingado!!!"
(A Coroa Cristã Francesa foi uma das piores inimigas do heathenismo e da Civilização Viking).

Durante o inicio do Século XX, o Partido Nacional Socialista na Alemanha sob a Liderança Cristã de Adolf Hitler e com a aprovação do Papa, tentou perverter o Ásatrú tomando parte de seus simbolos religiosos nas crenças racistas Nazistas. Tal blasfemia morreu ao findar a Segunda Guerra Mundial, apesar de alguns grupos neo-Nazi estarem agora tentando continuar tal pratica.
Esta atividade não esta de nenhum modo relacionada com a restauração do Ásatrú como o Culto Aesir em sua Antiga Gloria!

Every study of runology done in Germany in XIX and XX century was tainted by non traditional elements, mixed with Christian racist extremism and theosophical elements resulting in a total non-traditional nazi Germanic esotericism by individuals such as Guido Von List.

Cada estudo runologico feito na Alemanha do Século XIX e XX esteve manchado com elementos não tradicionais, misturados com elementos teosoficos e do extremismo racista cristão, resultando em um esotericismo germanico nazista não tradicional por pessoas como Guido Von List.

And as always, Iceland held a vital role in Asatru restoration. They preserved our lore and legends from the harmful Christian hands of inquisition and in 1972, the Priest (Godhi) and Poet (Skald) Sveinbjorn Betteinsson, after great political pressure on Iceland Parliament (Thing), accomplished legal recogntion of the Pre-Christian Norse Religious Traditionalism as a valid religion and widely known today as Ásatrú . That means Trust, Faith or Loyalty to the Gods!

E como sempre, a Islândia teve um papel importante na restauração do Ásatrú. Eles preservaram nossas escrituras e lendas das mãos danosas cristãs da inquisição e em 1972, o Sacerdote (Godhi) e Poeta (Skald) Sveinbjorn Betteinsson, após muita pressão politica no parlamento Islandês (thing), conquistou reconhecimento legal do Tradicionalismo Religioso Nordico Pre-Cristão como religião valida e nomeou esta como Ásatrú que significa Fé, Confiança ou Lealdade para com os Deuses!

Religion Nature and Beliefs - Natureza da Religião e Crenças

Ásatrú is an Ethno-Cultural religion.

Ethno Cultural religions are the most sublime way of expressing the cosmology, way to view the universe, spirituality and culture of a people. The culture is the most important element of a people or nation and it is indeed the folk soul of this nation. Other examples of Ethno Cultural Religions are Hinduism, Druidism, Judaism, Taoism, Vodoun, Candomble and Shintoism.

Ásatrú é uma religião Etno-Cultural.

Religiões Etno-Culturais são a forma mais sublime de expressão da cosmologia, visão de mundo, espiritualidade e Cultura de um povo. A cultura é o elemento mais importante de um povo ou nação e é de fato a alma desta nação. Outros exemplos de Religiões Etno Culturais são o Hinduismo, Druidismo, Judaismo, Taoismo, Vodu, Candomble e Shintoismo.

Ásatrú beliefs are polytheistic, zoomorphic, antropormorphic and animist as are the majority of the Indo-European Religions in its original form.

As crenças do Ásatrú são politeistas, Zoomorficas, Antropormorficas e Animistas, como a maioria das religiões Indo Europeias em sua forma original.

Many people are exposed to the name "Asatru" through role playing games, such as Mage: The Ascension.
Unfortunately, the Asatru of these games bear little resemblance to the real religion.

Muitas pessoas expuseram o nome "Asatru" atravéz dos jogos de RPG, como o Mage: The Ascension. (Publicado em
Portugues pela Editora Devir). Infelizmente, o Asatru destes jogos são apenas levemente semelhantes a religião de verdade.

Our Gods - Nossos Deuses

Ásatrú, as a polytheistic religion. Asatruar worship three divine tribes of deities.

O Ásatrú, como religião politeista, cultua três tribos divinas de divindades.

The Aesir: These are the Gods of the tribe or clan, representing kingship, order, craft, etc.

Os Aesir: Estes são os Deuses da tribo ou clã, representando a Realeza, ordem, artezanato, etc.

The Vanir: These represent both the fertility of the earth and forces of nature.
They are associated with the Aesir but are not a part of it.

Os Vanires: Estes representam a fertilidade da terra e forças da natureza.
Eles são associados ao clã mas não são parte deste.

The Jotnar: These are actual Gods, but are referred to as giants. They are in a constant state of war with
the Aesir. They represent chaos and destruction. At the battle of Ragnarok, many of the Gods will die. Afterwards, the world will come to an end and be reborn.

Os Jotnar: Estes são atualmente Deuses, mas são referidos como gigantes. Eles estão em um constante estado de guerra
com os Aesires. Eles representam caos e destruição. Como na batalha de Ragnarok, muitos dos Deuses irão morrer, o
mundo chegará a um fim e renascerá.

Origins: Mankind is literally descended from the Gods. One deity, Rig visited the earth and fathered the human race.

Origens: A humanidade é literalmente descendente dos Deuses. Uma deidade, Rig, visitou a terra e foi pai da raça humana.

OdreidthR: This is the gift of ecstasy provided to humans by the Gods. It is what separates mankind from other animals,
and is our eternal link with the Gods.

OdreidthR: Este é o presente do extase presenteado aos humanos pelos Deuses. É o que separa a humanidade dos outros
animais, e é a nossa ligação eterna com os Deuses.

Creation Story: A poem Voluspa (Prophecy of the Seeress) contains an Asatru story of the creation of the universe. Between Muspelheim (The Land of Fire) and Niflheim the Land of Ice was an empty space called Ginnungigap. The fire and ice moved towards each other; when they collided, the universe came into being. Odin, Vili and Ve later created the world from the body of Ymir, a giant that they had slain.

Ásatrú often describes the creation of the universe as a natural and gradual process, not as a result of the caprice of some all powerful deity. Ginnungagap is an absolute voidness that was the Nothing that is All-in-potential, quite similar to the teachings in several other Indo-European religions including Hinduism and Buddhism.

Estoria da Criação: Um poema Volüspá (Profecia da Vidente) contem uma estoria da criação do universo.
Entre Muspelheim (A Terra do Fogo) e Niflheim a terra (ou pais) do Gelo estava um espaço vasio chamado Ginnungigap. O fogo e gelo se moveram na direção um do outro; quando eles colidiram, o universo passou a existir. Odin, Vili e Ve, mais tarde, criaram o mundo do corpo de um gigante que eles tiveram que matar.

Ásatrú frequentemente descreve o processo de Criação do Universo como um processo natural, não como um resultado de um caprixo de alguma deidade toda poderosa. Ginnungagap é uma vacuidade absoluta que é o Todo-em-potencial, de forma similar a outras religiões indo-europeias incluindo hinduismo e budismo.

Ásatrú Morality - Moralidade Ásatruar

Life Values: They follow values like the modern construct Nine Noble Virtues, based upon the Havamal: Courage, Truth, Honor, Fidelity, Discipline, Hospitality,
Industriousness, Self-Reliance and Perseverance. The family is greatly valued and honored. They reject any form of
discrimination based on ethnicity, gender, language, nationality, race, sexual orientation, or "other divisive criteria".

Ásatrú in fact don't have a strictly defined set of laws of conduct as commandment, but rather a loosely defined heroic morality, or "thew". However, We have some elements that would be considered to be virtuous behaviour and would be considered admirable traits by our people. Honour, courage, discipline, and so forth are based in what is a workable reality instead of aderence of a dogma. Loyalty to family, our community and our Gods instead of syncretism and reason, joy, modesty and compassion.

Valores de Vida: Eles seguem as Nove Nobres Virtudes: Coragem, Verdade, Honra, Fidelidade, Disciplina,
Hospitalidade, Labor, Auto-Confiança (Independencia) e Perseverança. A familia é grandemente valorizada e honrada. Eles rejeitam quaiquer forma de discriminação baseada em etnicidade, sexo, linguagem, nacionalidade, raça,
orientação sexual, ou "outro criterio separativo".

Ásatrú de fato não tem um definido conjunto de Mandamentos, mas uma não definida moralidade heroica. Nós temos entretanto alguns elementos que poderiam ser considerados como conduta virtuosa e que levariam a admiração de nossa gente. Honra, Coragem, Realidade em vez de Aderencia a um Dogma, Lealdade para a familia, nossa comunidade e Deuses em vez de Sincretismo e traição, prazer, modestia e compaixão.


Ritos do Ásatrú - Ásatrú Rites

Their local religious communities are called Kindreds, Hearths, or Garths. Priests are called Gothi; priestesses are Gythia

Suas comunidades religiosas locais são chamadas de Kindreds, Hearths,. "Padres"ou sacerdotes são chamados de Gothi(Godhi, Goði ou Goþi), e as "madres" ou sacerdotizas são chamadas de Gythia (Gydhia, Gyðia ou Gyþia).

The Blot: (pronounced "bloats") This is their most common religious ritual; it is a sacrifice to the Gods. In olden days,
as with almost all ancient religions, an animal was consecrated to the deities and then slaughtered. This was not seen
as a bribe or as a method of capturing the power of the dying animal. It is simply the way in which the ancient Norse
shared their bounty with a gift to the Gods. Currently, the animal sacrifice has been replaced by the offer of beer, juice
or mead. Afterwards, those present are either sprinkled with the liquid, or drink it in sequence.

O Blot: Este é o ritual religioso mais comum; este é um sacrificio para os Deuses. Nos velhos dias, como na maioria das
antigas religiões, um animal era consagrado para as deidades e depois morto. Este não era um suborno ou um metodo de
capturar o poder do animal morrendo. Esta é uma forma simples em que os antigos Nordicos repartiam sua fartura com
um presente para os Deuses. Atualmente, o sacrificio animal foi substituido por outras oferendas como cerveja, suco ou
hidromel. Depois de tudo, os que estão presentes são borrifados com o liquido, ou bebida na sequencia.

The Sumbel: This is a ritual drinking celebration, in which a horn filled with a drink is passed around the group. Each person delivers a greeting; a toast to the Gods, ancient heroes, or one's ancestors; or a story, song or poem. He or she then drinks from the horn.

O Sumbel: Esta é uma celebração do ato de beber ritualmente, em que um chifre preenchido com uma bebida é passado pelo grupo. Cada pessoa da um cumprimento; um brinde aos Deuses, antigos herois, um ancestral de alguém; ou uma estoria, canção ou poema. Ele ou ela então bebe do chifre.

Profession or Adoption: This is the act of making a commitment to Asatru to the exclusion of any another religious dogma, by solemnly giving an oath of allegiance and kinship to the Gods of Asgard, the Aesir and Vanir and our people. It is a simple ceremony usually done in the presence of a Gothi or Gythia and the rest of the Kindred, Hearth or Garth. It is taken on an oath ring or some other sacred object.

Profissão ou Adoção: Este é o ato de fazer um compromisso para o Asatru pela exclusão de quaisquer outros dogmas religiosos, pelo dar solenemente um juramento de aliança e parentesco aos Deuses de Asgard, os Aesir e Vanir e nossa gente. Esta é uma cerimonia simples usualmente feita na presença de um Gothi ou Gythia e o resto do Kindred, Hearth, ou Garth. Isto é tomado sob um anel de juramento ou outro objeto sagrado.


Sources

Asatru - Norse Paganism
By Religious Tolerance - ORG

Gods and Myths of Northern Europe
H.R. Ellis Davidson

Havamal - The Words of the Highest One
The Poetic Eddas
Larrington Translation

Old Anglo-Saxon Rune Poem

An introduction to Asatru *** The Raven Kindred Assc. 11160 Veirs Mill Rd L15-175 Wheaton, MD 20902 USA (301) 593-9316 - lstead@cais.com

Special Thanks to
Elder Heimdallr Thorvinn (Hinn Gamli) and Gydthia Kreimhilde A. Steinberg


Site Map
 



Norse Religious Traditionalism

http://www.angelfire.com/wy/wyrd