Site hosted by Angelfire.com: Build your free website today!
 
< - Voltar à página principal
 
 

Fac-símiles de um Diário de 1973

de Hilda Hilst

 

1973/ Janeiro - sexta 26

"Fui até o barraco do Zé velho e chorei muito porque vi muita miséria. Mandei desmanchar o barraco e coloquei o Zé velho e a Rosa numa casinha da fazenda. Sofro de piedade, gostaria de poder dar muitas coisas a muita gente mas não posso. Telefonei para mãe do José Luis (Mora Fuentes) e soube que o Zé já está bem, sem febre. Fiquei contente. Agradeço a Deus e aos guias."
 
 
 

1973 / Janeiro - sábado 27

"PAZ NO VIETNAM,
Meu Deus, que seja para sempre!"
 
 
 

1973 / abril - sábado 14

"Gisela veio me ver.
Fiquei muito feliz.
Falamos tanto,
memórias
o rosto nosso de antes.
Porre ótimo."
 
 
 

1973 / maio - quarta 9

"Fiz 2 poemas a Dionísio.
Ele não veio.
Estou muito triste porque acho que não é justo que alguém, no caso Dionísio, não aproveite o que eu estou sentindo agora.
Será que os guias não querem que eu tenha a alegria do corpo? É 1 1/2 da manhã e é pena que o corpo
que o corpo
CORPO CORPO CORPO
e ninguém para aproveitar
Hilda Hilst contente de seu corpo."
 
 
 
 

1973 / maio - quarta 16

"S. Paulo
Não houve espetáculo no teatro. Falta de público. Fiquei deprimida mas tenho certeza que vai melhorar.
Noite extrema / fria.
Acho que se 'o verdugo' demorar tantos anos para sair é porque houve um motivo. Peço auxílio espiritual para o trabalho. Jantei c/ Rofran e Geraldo D'El Rey. Fui ao apto de Geraldo e falamos sobre 'Qadós' e 'O Oco' e a possibilidade de Glauber Rocha filmar 'O Oco'."
 
 
 

1973 / julho 31

"Meus guias, Abril, Maio, Junho e Julho foram lindos para mim. Meu trabalho foi visto e foi amado por alguns. Agradeço muito. 1973 está sendo maravilhoso. Excesso de dádivas.
Coração generoso do Tríplice - Acrobata. Para Hilda agora tempo de amor.
Por favor meus guias, tempo de amor com ele. Quero muito.
'Estufado e seivoso prato de lentilhas.' (Qadós) "
 
 
 

1973 / dezembro - sábado 29

"Muito triste, telefonei para Ligia (Lygia Fagundes Telles) e soube que o Arnaldo Horta morreu. Meu querido amigo, tomamos um grande pileque juntos há alguns dias atrás. Peço aos guias luz para o espírito de Arnaldo."
 
 
 
 
topo | página inicial