Site hosted by Angelfire.com: Build your free website today!
Lenda da Serpente de São Luís


                   Ao redor da Ilha de São Luís haveria uma descomunal serpente sempre a
                   cresçer, até que um dia sua cauda alcance a cabeça. Na ocasião em que tal
                   acontecer; o monstro reunirá todas as suas forças para, num abraço
                   estupendo, comprimir a porção de terra envolvida, provocando o completo
                   desaparecimento de São Luís, que será tragada pelo oceano.

                   Josué Montello, em seu romance Os degraus do paraíso, que pertence, ao
                   lado de mais de uma dezena de outros, à saga maranhense, que tem São Luís
                   e seus habitantes por cenário e personagens, apresenta outra versão desta
                   lenda, como veremos a seguir:

                   Mas, de repente, ao atravessar a rua que desce para o mar, alon gou o olhar à
                   direita, procurando a Fonte do Ribeirão. Lá estava ela, com seu muro
                   circundante, à distância de uma quadra. Susteve o passo, com a curiosidade
                   mais viva. Ali se escancaravam as bocas do subterrâneo onde morava a
                   serpente de que Morena lhe falara, não fazia muito tempo: "Uma serpente
                   enorme, Téo: a cauda da bicha está na igreja de São Pantaleão, a barriga na
                   igreja do Carmo e a cabeça na Fonte do Ribeirão. Um dia, quando eu era
                   pequena, o papai me levou até lá, vi a cabeça do monstro a espiar a gente por
                   trás da grade de uma das bocas da fonte. Fiquei com um medo tão grande que
                   até hoje me arrepio toda, só de lembrar aque la boca aberta, com uma língua
                   muito comprida e vermelha sain do do meio dos dentes"

                   Ainda sobre a submersão de São Luís, reza a lenda messiânica do
                   encantamento do Rei D. Sebastiáo na Praia dos Lençóis, sob a forma de um
                   touro negro: no dia em que lhe ferirem a testa estrelada, o rei se desencantará,
                   emergindo, glorioso, das profundezas oceânicas. O maremoto provocado pela
                   emersão da numerosa e reluzente corte real, seguida de seus grandes
                   exércitos, fará desa parecer; na fúria das águas revoltas, a Cidade de São Luís
                   do Maranhão.

Folclore