Site hosted by Angelfire.com: Build your free website today!

 

ENHEDUANA


Figura 1 - Disco de Alabastro com a figura de Enheduana, que está no Museu da Universidade da Pennsylvannia, EUA

 

"Na pessoa de Enheduana, estamos na presença de uma mulher que foi ao mesmo tempo princesa, sacerdotisa, poeta, enfim, uma personalidade que estabeleceu padrões em todos os três papéis que desempenhou por muitos séculos que se sucederam, e cujos méritos foram reconhecidos muito depois, como tantos fatos que marcaram a cultura e civilização mesopotâmicas"

W. W. Hallo and J.J.A. van Djik, The Exaltation of Inanna.

O site Babilônia-Brasil é dedicado à Enheduana, Alta Sacerdotisa Suméria de Nana/Sin, o deus da Lua, Princesa Real e filha de Sargão, o Acádio, imperador e gênio mulitar que pela primeira vez uniu a Suméria (Sul da Mesopotâmia) e a região de Ágade e da futura Babilônia (Mesopotâmia Central) em um só reino (cerca de 2000 Anos Antes da Nossa Era, ou 4.000 Anos atrás). . Enheduana é também a primeira autora conhecida da história da literatura universal. Antes dela, houveram autores ou escribas, mas Enheduana foi a primeira a se identificar como tal em sua obras, assinando-as com seu nome. As evidências da obra desta sacerdotisa literata, erudita e notável poeta que temos disponíveis incluem um ciclo de três hinos à Deusa Inana e um ciclo de 45 hinos de templo. Escolhida por seu pai Sargão, Enheduana começa uma tradição que vai perdurar por cerca de 500 anos, através da qual o rei vigente instalava sua filha como Alta Sacerdotisa de Nana, o deus da Lua, em Ur. Nana é o grande regente do tempo, da passagem das estações, da fertilidade da terra e do sangue sagrado de todas as mulheres. Por 500 anos após Enheduana, temos nomes registrados em tábuas de argila de princesas que desta forma exerceram tanto poder religioso como secular em Ur, algo ainda não atingido pelo sexo feminino no século XXI. Enheduana teve importante papel teológico na Suméria. Ela foi a autora de dois ciclos de hinos escritos em honra dos templos da Suméria, expressando portanto o desejo de unidade cultural, tão importante para o império em formação de seu pai. Ela também escreveu três grandes hinos à deusa Inana, dos quais temos fragmentos quase completos (Ninmeshara, Inninshagurra e Nimehussa). Todos estes hinos são em parte poemas narrativos. A imagem da deusa Inana é sempre a de uma deusa forte, poderosa, unificadora, tal qual a imagem que Sargão e seu império queria e foi bem sucedida em propagar.

Sem dúvida, como filha de um grande monarca e a primeira princesa a ser instalada no posto de Alta Sacerdotisa, Enheduana gozava de invejável posição e autoridade. É também extremamente estimulante ver a espontaneidade, paixão e técnica de seus escritos, que nos deixam um testemunho precioso de uma mulher que detinha poder tanto temporal como espiritual, além de ser grande poeta e gozar de considerável erudição. Ela viveu a cerca de 2280-2200 Antes da Nossa Era (4000 anos atrás) e o primeiro artefato descoberto com inscrições sobre sua existência é um disco de alabastro (Figura 1), que foi descoberto por Sir Leonard Woolley em 1925.

Figura 2 - Detalhe do disco de alabastro, com perfil de Enheduana

Enheduana, Princesa Real, Poeta, Alta Sacerdotisa, Amada de Nana, Escolhida do Coração e da Alma da Grande Deusa do Amor e da Guerra, Escriba dos Primeiros Versos encantados da literatura universal, seja mais do que Bem-Vinda à Babilônia - Brasil e ao espaço eterno de nossos corações, mentes, corpos e almas, que se abrem à Mesopotâmia Dourada de todos os Mistérios, Tempos e Magias!

Voltar para BabiloniaBrasil