Site hosted by Angelfire.com: Build your free website today!




opinião:



28-05-03


Mudanças e mudanças:


Os assuntos me cansam. A capacidade que as notícias têm de se repetir é impressionante; parece que ao longo de dias e semanas inteiras, nada de novo acontece no Brasil e no Mundo. O problema é que acontece sim, mas não muda nada. Me irrita acordar todo dia e pensar nas mesmas coisas, e me preocupar com os mesmos assuntos de ontem, de anteontem..

E o pior é que eu nem ligo mais. Não ligo MESMO, não me importo se o dólar tá alto ou tá baixo, se os EUA invadiram o Iraque e quantas pessoas mataram, não ligo quantos promotores de justiça morreram, vítimas da violência dos traficantes cariocas nesse fim de semana, ou mesmo quantos ônibus eles queimaram. A imressão que eu tenho é que o mundo é assim mesmo, e vai sempre continuar sendo. As tão prometidas mudanças do governo esquerdista no Brasil também não vieram, e quer saber o que mais?.. eu não tou nem aí.

A situação vai piorando, piorando, as pessoas vão cada vez ganhando menos dinheiro no final do mês - e os produtos ficando a cada dia menos acessíveis também. Mas o mais importante disso tudo, e mais impressionante - é que a gente sobrevive, não importa quão ruim esteja a situação. O limite da paciência e da tolerância de nós, seres humanos, é inexistente. Agora sou também defensor da lei de Murphy - para a humanidade não existe nada tão ruim a ponto de ser impóssivel piorar. Deus é brasileiro, dá sempre um jeitinho de piorar as coisas prá nós.


Pedro Andrade
*Postada Por:E P Curo




12-05-03


Destruindo MacDonadises:


Quem Leva a sério?? Eu não consigo levar a sério essas manifestações brasileiras contra a globalizaçao/ EUA... Se analisarmos bem de perto, notaremos nelas muitas idéias européias e, o pior, idéias fajutas como: nacionalismo, xenofobismo... Peguemos, por exemplo, essa idéia de quebrar o Mc Donalds: Os que praticavam essa bobeira deviam até ter achado sua idéia revolucionária, mas na verdade ela é mais antiga que a vó deles. Essa idéia surgiu quando agricultores franceses decidiram atacar os famosos fast-food americanos a favor da soberania culinária francesa... Dá pra acreditar???
Será que esse povo que saiu quebrando mc donalds daqui sabia disso? Ou será que eles tb defendiam a nossa soberania culinária? Tipo: no lugar de Big Macs eles iriam querer Big-Feijoada, ou Quarteirão com Vatapá ou MC-Feijãotropeiro....

Tipo, hj no Brasil parece que essas idéias européias ganham cada vez mais espaço. Muitas vezes recebi emails durante a guerra em favor da política francesa qt aos EUA... Será que eles sabiam que a França era um dos países que mais tinha contratos firmados com a elite iraquiana??? Ou, será que eles acham que os franceses são realmente "bonzinhos"? Ninguem se lembra da Guerra da Algéria, uma das mais sangrentas que já houve??

Sério mesmo, ta me parecendo que hj nao se contesta a Hegemonia Americana, mas se quer, na verdade, trocá-la por uma Européia... É por isso que eu já tô aprendendo francês!!!


Thiago Taprógoras
*Postada Por:E P Curo




07-05-03


Bóris e o Big Brother Brasil:


Bóris Casoy ???

Pessoalmente, prefiro o Bonner. Ontem, pela primeira vez, parei pra assistir o jornal da Record, ficando até assustado com as impertinentes intromissões do Boris. Dar a notícia, e simplesmente dá-la, era o que ele deveria fazer. Enquanto a linguagem é jornalística o jornal corre bem. Aí vem a parte da opinião. Foram três reportagens e três opiniões que qualquer ser humano normal pode classificar como ... . Além disso, os textos são emotivas manifestações sem qualquer embasamento contundente. Boris não tem argumentos para nos convencer de que o que fala é a verdade. Simplesmente conta com a boa vontade e simpatia do espectador, diante da apelação que exerce uma personalidade como ele. Nesse ponto ele parece bastante com um político qualquer.

O discurso apelativo pode ser um ponto positivo para um opinador, mas não no caso dele. Numa única edição do jornal, o vi sugerir a instalação de câmeras de vigilância para conter a violência e a extradição de Fernandinho Beira Mar para os EUA (como se os EUA não fosse pedir nada em troca disso! ). Boris é a favor do Big Brother!Mal sabe o coitado que bandidos também sabem destruir câmeras de vigilância. câmeras que, alias, são bem caras não são? Ia custar uma nota preta pro governo do rio, provavelmente. O dinheiro da fome do Lula ia pro saco.

Mas talvez, quem precisa de comida quando se tem o Big Brother? Estou achando que o interesse do Boris nisso tudo é montar um reality show pra concorrer com o da Globo, um tipo “bandido brother”, protagonizando os mais perigosos bandidos brasileiros numa arriscada convivência do dia à dia, e confrontos ao vivo com a polícia. De novo, comida pra que? Fiquemos com o “circo”. O tráfico é quem alimenta a favela, no sentido material. O dinheiro do tráfico é essencial num contexto no qual as pessoas não têm qualquer outra escolha de vida, como a que um jornalista pode ter. A favela vive do tráfico, materialmente, e agora se entretém com ele também. Talvez seja pra botar mais lenha na fogueira que no jornal de ontem defendeu-se uma ação constante da polícia nos morros, do tipo “pegando todo mundo mesmo!!”. Helicópteros iriam ficar bem no novo programa da Record. Meu Deus, e depois na próxima nota me reclama do Bush. Vergonha é ter gente incompetente falando na tela da minha televisão. Isso sim é uma vergonha.


Pedro V. S. Andrade
*Postada Por:E P Curo




06-05-03


Sofistas:


Sofisma é um parâmetro lógico, uma estrutura de raciocínio que desobedece às regras ditas científicas da razão humana. A estrutura padrão científica é o silogismo, sendo o sofisma um padrão de raciocínio que se pauta segundo bases essencialmente a-científicas. É corrente, embora errônea, a noção que concebe o sofisma como um raciocínio que leva a conclusões equivocadas. O que esquece-se de mencionar, contudo é que a própria razão intrínseca do sofisma é diversa da lógica normalmente utilizada.

Decisões e atitudes são tomadas segundo regras de pensamento constantemente em nossas vidas, e nessas decisões nos pautamos segundo padrões de conduta que obedecem à razão própria de cada indivíduo. Quando externalizamos nossas vontades, porém, o primeiro impulso é geralmente no sentido de resguardar essas convicções. Assim pretendemos protegê-las contra o juízo da sociedade. Aspiramos a possibilidade de obter uma maior inserção social, e melhor adaptação frente aos outros seres humanos. O conjunto social pode ser incrivelmente arbitrário nesse aspecto. Quando a sobrevivência da harmonia e da ordem está em jogo, os seres humanos se esquecem da razão, implusivamente atentando contra a unidade "problemática" em prol do conjunto. Uma atitude socialmente considerada anormal pode resultar extremamente perigosa para o seu sujeito. E para nós, homens sociais, nada mais degradante que o desprezo do grupo no qual estamos inseridos.

O sofisma é inversão de padrões, é corrupção de valores. O sofista é aquele que obedece à uma razão própria, e muitas vezes também única. Pois na medida em que todos nós, seres humanos, trazemos conosco toda uma bagagem de valores e experiências diversas das dos demais seres, possuímos também uma lógica nossa. Cultura, religião, experiências e situações por nós vividas convergem e afloram para construir uma personalidade. E o que realmente somos reside exatamente nisso.

Exercitando o sofisma, estamos agindo em favor de nós mesmos. O sofista é, antes de tudo, um autêntico. Mas é também aquele que obedece à sua lei natural, às suas vontades e expectativas. Pensar segundo suas próprias experiências e poder expressar de maneira livre tais valores. Satisfazer-se através do conhecimento, com o objetivo único de imprimir a sua marca no mundo exterior é o que se pretende. Ser você mesmo, e interagir com o mundo com livre expressividade, é ser um sofista.

Pedro V. S. Andrade
*Postada Por: E P Curo



Envie-nos também sua opinião: epicuro@sofista.cjb.net