Site hosted by Angelfire.com: Build your free website today!

COPACABANA

 

 

 

Copacabana é um dos bairros mais famosos do mundo com sua famosíssima praia, seu encantador calçadão, seu fabuloso espetáculo de queima de fogos do Reveillon, com seus umbandistas deixando seus pedidos nas areias e no mar, suas ruas trêmulas da noite quando nasce, enfim, por todos seus encantos. Com isso, Copacabana atrai diversas pessoas, de diversos lugares, de diversas idades, fazendo com que ela fique bem variada. Lá, pode se encontrar desde garotas de programa até grandes executivos.

Dessa maneira dei início em minha pesquisa, tentando retratar um pouco desse bairro. Desse diferente bairro que é Copacabana. Digo diferente pois todos os outros têm uma identidade mais específica. Como por exemplo Ipanema, que é o bairro dos jovens, dos adolescentes, que simplesmente optou por ser um bairro "point". Já o Leblon, ressaltando que é "colado" em Ipanema, é um bairro mais família. Ou a Barra, que é um bairro mais centralizado, mais completo como cidade. É bem família também, são mais independentes. Esses bairros e os outros possuem uma identidade formada, diferente de Copacabana, que possui uma identidade que vou tentar descobrir.

Copacabana é dos jovens, das crianças, dos idosos, dos malandros de rua, dos executivos, dos comerciantes, das garotas de programa, das famílias, dos hotéis, dos motéis, da noite, do dia, das boates de estripe, dos restaurantes famosos, das músicas, Copacabana é de todos.

É por ser exatamente dessa maneira que tive uma motivação de tentar desvendar o mistério de Copacabana, das famosas ruas que juntas formam o bairro Copacabana.

Primeiramente cito a baixo o bairro em números, para aprofundar mais a pesquisa e, para que assim possa haver um entendimento melhor do que direi mais a frente.

 

 

População: 221 mil habitantes
Idosos:
57.460 (26%)

Área: 7,84 Km2
Escolas municipais:
10
Escolas estaduais:
3
Escolas particulares:
30
Posto de Saúde:
1
Delegacias de Polícia:
2
Batalhão da PM:
1
Praças:
17
Teatros: 13
Cinemas: 5
Igrejas:
22
Hotéis:
72
Agências bancárias:
59
Bares e restaurantes:
693
Residências:
82.239
Imóveis comerciais:
8.297

(Fonte : http://odia.ig.com.br/sites/diacombairro/copacabana2.htm)

Podemos, então, começar a reparar o pandemônio que esse bairro é. Para essa pesquisa, escolhi me aprofundar numa rua (Avenida) que contém quase todas as características citadas acima, por ela possuir as características gerais do bairro, e para que assim eu pudesse conseguir uma diversificada quantidade de informações. Avenida Nossa Senhora de Copacabana.

 

 

 

Avenida Nossa Senhora de Copacabana

Quando deram 9:40 am. entrei no ônibus 177, que tem seu ponto final próximo à minha casa. Fui de ônibus para que eu pudesse sentir mais de próximo o suor das ruas, de todas elas, até chegar na de meu destino. Saí, então, de São Conrado, onde as ruas são bem tímidas, o bastante para eu não ter muito o que dizer além da utilidade de passagem. Depois veio a famosa Av. Niemayer. Essa eu não consigo falar, ela fala tudo por mim enquanto fico deslumbrado com sua vista, observando a imensidão do oceano ... Até olhar para trás e lembrar da imensidão da favela do Vidigal, que além de tudo também possui suas própria ruas, mas essas eu não posso falar.

Chego , então, no Leblon. Que bairro lindo... Que ruas.... Que praia.... Quanta gente bonita....Quantas famílias.... Suas ruas aspiram felicidade, paz, tranqüilidade, juventude, tudo que uma boa rua pode possuir. Meus pensamentos se derretem entre todas essas ruas mas....Pena que ele passou rápido. Cheguei em Ipanema, onde também existe uma beleza valiosa, onde possui a rua que saiu a música brasileira mais cantada no mundo: "Garota de Ipanema". Ruas que reuniam grandes poetas e que hoje reúnem grandes jovens. O "point". Porém, também, passou bem rápido, até que às

10:15 am. cheguei ao meu destino.

Saltando do ônibus, logo esbarrei em um tumulto que ocorria, devido um "malandro da rua" ter cometido um assalto a uns vinte metros do local onde estava. Os vigias de rua correram atrás dele até que conseguiram o pegar. Na minha mochila eu levava uma câmera fotográfica, que fiquei com medo de tirar, além de não estar com a profissional, pelo mesmo motivo. Já comecei minhas anotações.

Comecei, só então a analisar minuciosamente, as lojas, os restaurantes, os comerciantes ambulantes, os prédios, e por fim as pessoas, pois elas são o reflexo de Copacabana. São elas que "fazem" cada rua de Copacabana possuir suas aparências, suas identidades.

Próximo de mim tinha uma galeria famosa, chamada "Menescal", mais a frente um Mac Donald’s, por todos os lados, aqueles prédios, um colado no outro, literalmente. Por toda a calçada, o comércio ambulante debruçava seus produtos, desde canetas a sutiãs. Na minha frente estava o "Copacabana Bingo". E nos "rodapés" dos prédios estavam as "infinitas" lojas.

Então, comecei a analisar as pessoas que passavam por essa rua, desfilando seus olhares nessa imensa avenida. Muitas mulheres, muitos homens, muitos gringos, muitos idosos, muitos jovens, muitas mulheres de rua, muitos executivos. Comecei a ficar tonto, meus olhos, sem rumo, não paravam. Não conseguia firmá-los em um ponto estratégico onde eu pudesse desvendar Copacabana como um todo. De repente despertei, mas não com uma solução e sim com mais um tumulto, agora os ambulantes

"fechavam rapidamente seus negócios", pois mais a diante vinham os policias para

recolher suas mercadorias. Continuei a procurar...

A partir de então comecei a olhar para os calçados das pessoas, e não conseguia, nem assim, obter um segmento. Passaram todos os tipos de calçados que se possa imaginar, em menos de dez minutos que os fiquei reparando, até que reparei que esse não era o estratégico. Novamente me veio a tontura. Muitas pessoas já começavam a me notar, como se eu fosse um perdido, sem rumo, e era assim que estava me sentindo. Exatamente assim. Sem respostas sobre a identidade da Av. Nossa Senhora de Copacabana, que por sua vez, deixaria visível a identidade de todo o bairro.

A "noite começava a nascer", "as ruas começaram a tremer", foi então que me veio a resposta. Ela estava logo ali na minha frente, tudo apontava para ela, só eu não percebia, a própria "Nossa Senhora de Copacabana já estava irritada comigo", e então eu cheguei a óbvia conclusão de que isso era Copacabana. Essa bagunça. Essa correria. Esses tumultos. Aqueles idosos. Aquelas garotas. Todas as ruas. Aqueles bingos. Aqueles hotéis. Copacabana é a Avenida Nossa Senhora de Copacabana. Não existe uma resposta definida. Não existe uma identidade única como os outros bairros.

Não existe limites. Copacabana é tudo isso e, é por esse mistério que as pessoas de todo o mundo conhecem esse bairro, sua praia, suas pessoas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Produto:

 

Após toda essa análise, percebendo Copacabana como um tumulto "generalizado", onde possui executivos, misturados com jovens, com idosos, com peruas, com garotas de programa, principalmente, fiz por me basear em um produto que combinasse toda essa "bagunça" de uma só vez.

Dessa maneira resolvi desenvolver um calçado feminino que coubesse para todas essas característica, desenvolvendo-o em um salto baixo, grosso, atendendo as idosas, por maioria, com um tecido imitando a famosa "oncinha", o que atende desde peruas (de nível baixo, já que seu custo na vitrine foi desenvolvido para o custo de 30 reais em média) até garotas de programas, que costumam usar esse estilo de combinação.

Assim concluo meu "Projeto Copacabana", deixando claro um conjunto de informações no calçado, fazendo perceber Copacabana como um todo.