Site hosted by Angelfire.com: Build your free website today!

Página Inicial

Pais e educadores

 

Descubra o que o bebé sente...

... mês a mês!

Está grávida? Então, muitos parabéns. A grande aventura vai começar hoje mesmo. Conheça as “mudanças de humor” do seu bebé e descubra como comunicar com ele. Decifre as mensagens que ele lhe envia e ponha em prática as técnicas de estimulação pré-natal mais adequadas.

1º Mês - Nasceu para a música...

O que sente?

    Durante a 3ª semana começa a desenvolver-se o sistema nervoso, formando-se as bases do cérebro, a medula espinal e o sistema nervoso periférico. No final do 1º m~es, o seu bebé medirá 2 mm e o seu coração começará a pulsar... e a sentir.

Que estímulos necessita?

    Este 1º mês de harmonização intra-uterina é uma viagem ao interior de si mesma. É hora de explorar os seus sentimentos mais recônditos e chegar ao fundo do coração do seu filho, que já começa a pulsar. O bebé necessita de uma boa dose de amor e segurança. Ouvir música clássica ajudará a sossegá-lo e, possivelmente a estimular as células cerebrais básicas para a capacidade de concentração e aprendizagem da futura criança.

Métodos mais eficazes

    Escolha uma música clássica suave e relaxante, mas que não a faça dormir. Curiosamente os compassos do período barroco são os que mais se identificam com o bater do coração da mãe e, aquilo que o feto sente no útero. No seu livro Love Chords: Music for the pregnant mother and her unborn child - não disponível em português, Thomas Verny recomenda mesmo as seguintes obras: o Quinteto “A truta” em Lá maior, para piano e cordas, de Schubert; o Concerto em Ré para guitarra, de Vivaldi; o Concerto para piano nº 2, de Mozart; o Concerto para harpa em Si bemol maior, de Haendel; e o Concerto para flauta em Ré maior, também de Vivaldi.

2º Mês - “Olá, meu amor”

O que sente?

    Começam a formar-se os olhos, o nariz e as orelhas. O embrião responde ao contacto e surgem os primeiros movimentos, que você ainda não consegue detectar. Tem reflexos de sucção e de preensão. Com sete semanas, o feto já responde a estímulos tácteis, e as suas primeiras sensações estão localizadas à volta da boca.

Que estímulos necessita?

    O objectivo deste mês é resolver os pontos emocionais conflituosos. Você está imersa num mar de hormonas que invadem o seu corpo, e os primeiros efeitos começam a fazer-se sentir: cansaço e mudanças de humor, que o bebé já percebe. Para combater o "stress", recrie imagens agradáveis e pense em "coisas" que a deixem revitalizada. Referimo-nos a imagens, sensação ou sons.

Métodos mais eficazes

    É uma boa altura para dizer ao seu bebé que o adora. Fale com ele usando frases curtas como: "Olá, meu amor!", "Adoro sentir-te crescer dentro de mim", "Gosto muito de ti", etc. Repita-as para dentro, ao mesmo tempo que acaricia o ventre. Faça-o sempre que quiser comunicar com o seu filho.

Respire com ritmo

    Ao respirar de forma ritmada, poderá provocar mudanças fisiológicas positivas. O seu filho receberá mais oxigénio e melhorará o funcionamento cerebral.

3º Mês - Banho de imersão para dois

O que sente?

    As pálpebras e as palmas das mãos reagem fechando-se e, se lhe tocar na zona da testa, o bebé afasta a cabeça. No final deste primeiro trimestre, já consegue dar pontapés, girar os pés, mexer os dedos, chupar no polegar, fran­zir a testa e unir os lábios. As papilas gustativas desenvolvem-se e, em pouco tempo, sabere­mos se é menino ou menina.

Que estímulos necessita?

    Nesta fase, o seu filho já sente a falta do pai, por isso incentive o seu companheiro a participar nestes exercícios. Para estimularem o vosso bebé, primeiro têm de sentir o que ele sente e, para tal, é necessário regressar ao úte­ro materno e reviver sentimentos.

Métodos mais eficazes

    As técnicas de relaxamento são muito úteis para o casal. Aproveite para ver fotografias das diferentes fases de desenvolvimento embrioná­rio. Judy Ford, no seu livro “Blessed Expectations: Nine Months of Wonder, Reflection and Sweet Antecipation”, sugere às mães banhos de imersão quentes sempre que estiverem tristes, ansiosas ou inquietas. Procure uma piscina, onde possa nadar um pouco e verá que, tal como acontece com o seu bebé que está imerso no saco amniótico, a água deixá-la-á mais relaxada e optimista.

4º Mês - Escute o ritmo do seu bebé

O que sente?

    O bebé já é sensível à luz. Se projectar uma luz brilhante sobre a barriga, ele protegerá os olhos. Também reage ao frio e às cócegas. ;

Que estímulos necessita?

    Surge a primeira sombra de dúvida e os seus primeiros receios, por isso as técnicas de afirmação e pensamento positivo ajudá-la-ão a enfrentá-los. A primeira ecografia do bebé vai deixá-la emocionada, mas não servirá de "primeira foto oficial", pois parece a imagem desfocada de um televisor a preto e branco. Dificilmente distinguirá a cabeça do resto do corpo. As suas recordações, a imaginação, a história da sua família, as pequenas coisas do dia-a-dia do casal... tudo isso ajudará a criar uma imagem do seu primeiro filho. A sua imaginação não vai parar de trabalhar!

Métodos mais eficazes

    Imagine o corpo do seu bebé a flutuar no líquido amniótico. Observe os dedinhos dos pés e das mãos, as perninhas encolhidas... Veja como abre e fecha a boca, como chupa no polegar. Agora, sustenha a respiração e escute o pulsar do seu coração ao mesmo ritmo do seu filho. Comece a respirar e preste atenção às suas próprias inspirações e expirações.Imagine que o seu bebé se move dentro de si ao ritmo da sua respiração.

5º Mês - Mamã, põe essa música outra vez

O que sente?

    Não se surpreenda com os "puxões" repentinos que o seu filho dá, pois ele já é capaz de apertar com força, de agarrar o cordão umbilical e de brincar com ele. O seu bebé tem um ritmo de sono que alter­na com momentos de actividade, mas o mais espantoso é o desenvolvimento do seu aparelho auditivo. Quando ouve músi­ca ou barulhos fortes, reage com movimen­tos bruscos ou aceleração do ritmo cardíaco. Agora já distingue os diferentes tipos de sons.

Que estímulos necessita?

    Comunique verbalmente com o seu fi­lho. Fale com ele, cante e conte-lhe histó­rias. Com isso conseguirá melhorar a sua afectividade e o desenvolvimento físico.

Métodos mais eficazes

    Escolha canções suaves e cante-as várias vezes com carinho. Os bebés ado­ram a repetição. Sabia que os contos sensibilizam o sistema nervoso do bebé pa­ra as pautas linguísticas? Mas nào é só isso: se puser todo o seu amor e ternura quando lhe ler histórias, verá que o seu filho comunica consigo através dos pon­tapés. Fale com ele enquanto faz a cama, sai do escritório ou come uma maçã. E, mais importante ainda, faça-o como se ele a entendesse.

6º Mês - Ontem sonhei contigo

O que sente?

    O seu bebé já é capaz de lhe dar a perceber se está descontraí­do ou tenso. Os sinais traduzem-se em pon­tapés frequentes, mudanças brus­cas de posição ou em excesso de sucção do polegar.

Que estímulos necessita?

    No útero, o seu filho criou o seu próprio lar. Apercebeu-se já de que mexe os braços, faz mo­vimentos no líquido amniótico que lhe propor­cionam sensações agra­dáveis. Aconselhamo-la a acariciar a barriga, esta­belecendo uma relação bidireccional: enviar uma mensagem táctil ao seu bebé e receber uma resposta directa.

Métodos mais eficazes

    Tranquilize o seu filho sempre que o sentir a mexer-se de maneira irrequieta. Recoste-se numa posição confortá­vel e faça uma massa­gem desde o umbigo até ao peito. Pode esfregar a barriga com óleo, ouça música ou cante baixinho. Duran­te a massagem, feche os olhos e imagine o bebé no útero.

7º Mês - Eu respiro e tu dormes

O que sente?

    As pálpebras abrem-se e já sentem a luz exterior. Ago­ra o bebé é mais sensível à luz e à escuridão. Também consegue "dançar" dentro do útero ao ritmo da música e mostra preferência por algumas canções. Adquire a aprendizagem condicionada e uma personalidade pró­pria: mostra o seu desagrado batendo com os pés e res­ponde com movimentos harmoniosos quando a mãe massaja a barriga.

Que estímulos necessita?

    Faça respirações que estimulem o bebé, dê massa­gens e procure ver o seu filho em sonhos agradáveis.

Métodos mais eficazes

    Para os praticantes de ioga, a mulher grávida deve es­tar calma e com pensa­mentos positivos. O io­ga, sempre que orien­tado por um profissional, pode fazer-lhe bem. De pé, apoie as mãos na barriga, retenha na mente a imagem do seu filho e inspire, enquanto move o abdómen para a frente. Expire e empurre a barriga para trás. Re­pita o movimento.

8º Mês - Que jogo tão divertido

O que sente?

    O seu bebé mostra diferentes reacções perante a sua voz, a do seu companhei­ro ou a dos seus outros filhos. Tam­bém é mais sensível ao tacto e distingue se você está a brincar com os seus próprios dedos ou com as mãos.

Que estímulos necessita?

    Agora pode brincar com ele através de carícias e palmadinhas, e pode explicar-lhe mentalmente como se processa o parto. E, mais importante ainda, pode praticar os exercícios de respiração sincronizada e relaxamento, que a ajudarão a libertar-se do medo do parto.

Métodos mais eficazes

    O seu bebé aprendeu a brincar com o cordão umbilical e ao oitavo mês já está preparado para brincar consigo. Diga ao seu companheiro para fazer uma pressão suave com um dedo num lado da barriga e depois no outro, repetindo-o várias vezes. A criança costuma responder com a mão ou com o pé, fazendo pressão ou dando pontapés. Tocar nas mãozinhas do bebé através da parede abdominal é uma sensação maravilhosa! Experimente dar ligeiras palmadinhas rítmicas na barriga. Provavelmente, o seu filho responderá com uns pontapés. Produzir sons, além de comunicar com o seu filho, facilita a dinâmica do parto durante o processo de dilatação. Por isso, aperfeiçoe o exercício de respiração do mês anterior.

9º Mês - Aí vou eu

O que sente?

    Já está encaixado na cavidade pélvica, preparado para conquistar o mun­do. A mãe é a primeira pessoa que o pressente com a chamada "síndroma do ninho": esmera-se a ar­rumar a roupinha do bebé, o quarto, o berço...

Que estímulos necessita?

    Técnicas de relaxamento e auto-afirmação, que darão forças a am­bos para enfrentar o parto.

Métodos mais eficazes

    Aproxima-se o grande momento e agora o seu bebé precisa de si mais do que nunca. Procure aliviar as suas tensões recorrendo a técnicas de res­piração e relaxamento que fornecerão mais oxigé­nio ao seu filho, e lhe darão forças para nascer. Num papel, escreva algumas frases que estimulem o seu optimismo: "Sou capaz de enfrentar o parto", "Es­tou a preparar um nascimento feliz e sem riscos pa­ra mim e para o meu bebé", "O poder das contrac­ções fará com que o meu filho nasça sem demo­ras"... Por último, durante o parto, pode utilizar todas as técnicas de harmonização uterina que quiser.

Revista “Viver” - Junho de 2000

Pais e educadores